SEJAMOS ARDENTES

O que se pode fazer em trinta dias? Atualmente no mundo muçulmano, o nono mês do calendário muçulmano está “a todo vapor”. Um tempo reservado para praticar o quarto dos cinco pilares do Islã. A palavra “Ramadã” (رَمَضَان) está ligada à palavra árabe que significa “ser ardente”.

Não há uma data fixa para o Ramadã já que ele é dirigido pelo calendário lunar. O mês se inicia na aparição da lua, o que pode ocorrer em diferentes datas, dependendo da localização geográfica do país. É obrigatório para todos aqueles que chegam à puberdade, apesar de existirem algumas razões “claras” para não jejuar, como enfermidade, gravidez e outras coisas. Todavia o temor é tanto que muitos optam para fazê-lo. Caso este venha a quebrar inadequadamente seu jejum é obrigatório jejuar durante 60 dias seguidos.

Esta é a crença dos nossos amigos muçulmanos. Vale a pena dizer que é um período muito rico no que diz respeito à conversas específicas sobre o jejum, conforme Cristãos relatam. Como a religião que possuem é “muito visível” no que diz respeito à práticas religiosas, a pergunta deste mês para com os Cristãos é a seguinte: você jejua?

A resposta é não e sim.

Sempre esteve mais do que claro que nossa religiosidade não é mostrada (não deveria ser) como as outras religiões fazem. Pois o foco das mesmas é o merecimento que lhes é devido ao se realizar o que elas pedem. A primeira coisa que deveríamos saber é que a nossa “religião” é baseada no relacionamento vivo, santo e verdadeiro com o nosso Deus. A partir do momento que as “atividades” remetem ao merecimento, o sacrifício do Mestre perde o valor. E assim, não conhecemos (verdadeiramente) à Deus. Seremos como os outros: administradores e gestores de nossa própria salvação. Não somos ardentes assim.

Todavia, o que Jesus implantou no mundo (antes de sua criação) foi outra coisa diferente. Não estamos querendo dizer que não oraremos, não precisamos ter tempo para meditar na Bíblia e não daremos esmolas. Muito pelo contrário. Essas coisas são apenas fruto do relacionamento puro e verdadeiro com Ele. Não as fazemos para ter este relacionamento. Portanto, pode-se dizer que jejuamos porque já temos relacionamento puro e verdadeiro com nosso Pai que está nos céus.

A resposta que damos, aos nossos amigos é que jejuamos sim. Mas não fazemos o Ramadã. Queremos ser ardentes como Ele deseja. É um nível mais profundo de intimidade, de busca d’Aquele que nos mostra como se deve fazer. O profeta Isaías já nos falou à muito tempo atrás (capítulo 58), pois o povo em sua época estava buscando justiça, pensando que estava “jejuando ardentemente”, mas o sentimento geral era que o jejum não estava sendo aceito. Afinal de contas, Deus sempre responde e o povo não estava vendo isso. Foi por isso que ele entra em debate com Deus, perguntando-lhe o por quê do mesmo não ser aceito. A resposta do Pai é interessante e desafiadora: pouco adianta tamanho nosso movimento, se o mesmo não começou dentro de nós, estendendo-se àqueles que estão ao nosso redor. As ligaduras da impiedade precisam ser desatadas, tanto em si mesmos como nos outros. Era para o povo repartir o pão com os famintos, recolher aqueles que não tem abrigo, cobrir aqueles que estavam nus.

Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do SENHOR será a tua retaguarda. (Isaías 58:8)

É isso que significa, realmente, ser ardente. Fazer jejum.

E aqui estão estes, que amamos muito, acordando antes do sol nascer para orarem. Passam o dia inteiro sem comer nem beber, para quando o sol se por, voltarem a comer uma deliciosa sopa com doces feitos com açúcar. A noite chega, todos estão nas ruas com seus amigos. Em casa, mais comida. Há muita comida. É no Ramadã (por incrível que pareça) que se vende muito mais comida. Esta é a “devoção”, e nossa oração é que o conhecimento da verdade chegue a eles.

É por isso que chamamos você e tua igreja para aproveitarmos a ocasião para orar e jejuar. Verdade é que não precisamos de ocasiões específicas pois são disciplinas espirituais que cada um de nós, independente de lugar e igreja, devemos ter. Vamos nos juntar para orar, interceder, passar um tempo em adoração simples e poderosa, na presença do Mestre. Embora o Ramadã esteja quase terminando, eles terão uma noite chamada “Laylat al Kadr”. Você pode interceder usando um material que você pode baixar gratuitamente, clique aqui e você poderá se juntar a muitos em oração.

Vamos jejuar?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comente

Comentários

Deixe uma resposta