Notícias

MARROCOS

Um projeto de lei foi aprovado recentemente pelo Conselho de Ministros. O objetivo é dar fim a possibilidade de tribunais militares para julgar civis. Uma mudança e tanto que ocorre após o polêmico caso do julgamento de Saharawis perante tribunais militares. Segundo o projeto – que ainda tem de ser apresentado ao Parlamento – civis, independentemente da sua qualidade e da natureza do delito supostamente cometido “em tempo de paz”, não pode, de forma alguma, serem levados à tribunais militares. Incidentes ocorreram em Laayoune entre a polícia e centenas de pessoas à margem de uma nova visita do enviado da ONU, Christopher Ross, que é americano. Os confrontos deixaram várias pessoas feridas, com cada lado culpando a violência do outro. Oremos para que estes conflitos étnicos não se tornem problemas maiores para o governo marroquino e do Sahara ocidental.

TUNÍSIA

Três jihadistas suspeitos foram mortos pela polícia durante uma operação anti-terrorista na região de Jendouba no noroeste da Tunísia. Segundo o Ministério do Interior, uma das vítimas seria “um elemento muito perigoso”. As forças de segurança do país continuam sua luta contra os grupos islâmicos armados. A morte desses três jihadistas suspeitos, perto da fronteira com a Argélia, mostra que o país está atento a esses problemas. Interceda para que conheçam o Príncipe da Paz.

ARGÉLIA

“Desta vez, a situação é diferente. Além de todos os problemas sociais, há a questão do quarto mandato. Estamos caminhando para uma crise como em 1988,” preocupa Abderazzak Makri, presidente do Movimento Partido Islâmico da Sociedade pela Paz. Os defensores do boicote da eleição presidencial do dia 17 de Abril, anunciou a realização de uma reunião pública em Argel (capital do país). Em paralelo com a campanha oficial, eles levam a sua própria, em favor da abstenção. Já organizaram um protesto perto do monumento dos Mártires, um lugar simbólico em Argel. Oremos para que a Argélia continue sendo impactada pelo governo maior de Cristo.

MAURITÂNIA

Um estudante da Universidade de Nouakchott (capital do país) morreu, mas sem muitos detalhes dados pelo governo. A morte foi confirmada por uma fonte oficial, sem dar mais detalhes sobre suas circunstâncias. O porta-voz do governo da Mauritânia, o ministro Sidi Mohamed Ould Maham, assegurou em uma conferência de imprensa que o aluno não foi baleado e que a investigação vai lançar luz sobre “o resto “.

Este incidente vem depois de um evento semelhante em Zouerate (Far North), onde em fevereiro um rapaz (suspeito de ter doença mental) urinou em um Alcorão. O suposto autor foi posteriormente enviado para Nouakchott para exames psiquiátricos. Vamos orar pela Mauritânia?

LÍBIA

Qual é a situação da Líbia? Podemos orar pelos motivos abaixo, pedindo que o Senhor abra os corações e os liberte da morte eterna: